31 de dezembro de 2010

E la nave va



Deu no Corriere della Sera agora mesmo. Sabem o significado da frase no quadrado? Está só nas mãos dos Moreira o destino do jogador.

O mais tardar, na segunda?

O livreto é da FIFA e pode ser consultado por quem quiser. O título é "Regulations on the Status and Transfer of Players", algo como "Regulamentos sobre status e transferência de jogadores".

O documento, que pode ser encontrado neste link, estabelece no item 3 do Capítulo 18:
A club intending to conclude a contract with a professional must inform the player's current club in writing before entering into negotiations with him. A professional shall only be free to conclude a contract with another club if his contract with his present club has expired or is due to expire within six months. Any breach of this provision shall be subject to appropriate sanctions.
Traduzindo: "Um clube que pretenda firmar um contrato com um profissional deve informar sua intenção ao clube atual do jogador, por escrito, antes de entrar em negociações com ele. Um profissional só estará livre para celebrar um contrato com outro clube se o contrato com o clube atual expirou ou estiver por expirar dentro de seis meses. Qualquer violação desta disposição será objeto de sanções."

A notícia da contratação de Ronaldo Moreira pelo Milan foi divulgada no dia 15/07/2008. A última rodada do campeonato italiano ocorre no dia 22 de maio. Várias matérias da época informam que o contrato foi assinado até 30/06/2011. Se for assim, amanhã, sábado, já estaremos dentro do prazo de 6 meses estabelecido pela FIFA para a celebração de um pré-contrato. Ronaldo Moreira poderá, então, materializar todo o amor que sente pelo Grêmio. A assinatura de um pré-contrato praticamente selaria a liberação do jogador pelo Milan, sem custo. Por que permaneceriam pagando o salário de um jogador que não será utilizado por 6 meses? Italianos não costuma rasgar dinheiro.

Aguardemos, então, pela declaração de amor. Afinal, chi puo fermare il fiume che corre verso il mare? (Quem pode parar um rio que corre para o mar?).

Porém, não nos esqueçamos de sentar, pois a vida pode apresentar demoras e surpresas e os caminhos para o mar e os do amor costumam ser cheios de curvas traiçoeiras.

300?

Temos 296 seguidores.
Será que teremos 300, antes da virada do ano?
_____

Não deixem de ver, dois posts abaixo, o vídeo da adaptação feita pelo Gaguinho da música Jardineira, de Benedito Lacerda e Humberto Porto.

30 de dezembro de 2010

Che fazzoletto bianco?

Escrevemos no post "Acautelai-vos" que o Milan liberaria Ronaldo Moreira. O jornal la Repubblica informa que o jogador deixará o Milan já em janeiro, para atuar no Grêmio, no Flamengo ou no Palmeiras. Bingo.

O assunto se presta a alguns interessantes exercícios de raciocínio. Por exemplo:
1) teriam os negociadores do Grêmio se precavido a ponto de já terem um compromisso firmado com o atleta? Hoje, isso não teria valor, só em meados de janeiro. Porém, nada impede que já tenha havido uma "amarração" neste sentido. Mas prestem muita atenção: o blog não tem esta informação e se a tivesse, não divulgaria, por motivos óbvios.

2) caso não haja o pré contrato (havendo o assunto está liquidado), terão os A$$i$ tamanho apego ao metal que estarão dispostos a atrair sobre si um sentimento nada desejável da multidão que sonha com a volta de Ronaldo Moreira ao Olímpico?

Vindos da Itália, aparentemente os Moreira teriam acenado com um lenço branco, dando a entender que desejavam um tratado de paz com a Nação Gremista. Se o acerto frustrar, o pano branco assumirá um outro sentido simbólico, passando a representar um aceno de adeus. Significará adeus a diversas coisas, de parte a parte. Para alguns torcedores, às ilusões e à inocência.
_____

Não deixem de ver, no post abaixo, o vídeo da adaptação feita pelo Gaguinho da música Jardineira, de Benedito Lacerda e Humberto Porto.
_____

5 c$ do seu Algoz

Zini Pires, um dos isentos, escreveu um post com o título Grêmio nas mãos de A$$i$.
Há pouco no ClicRBS saiu esta reportagem.

Enquanto isto, ontem li alhures* que A$$i$ ficou muito irritado com o vazamento da negociação com o Grêmio. Pois eu agora entendo perfeitamente a causa da irritação do pilantra e, mais ainda, porque a direção deixou vazar a informação afirmando ainda que estava tudo acertado: foi a experiência passada.

Odone é macaco velho. Ele sabe que não se pode confiar nos moreiras. E inverteu o jogo.

Ao contrário do que diz o Zini, não é o Grêmio que está nas mãos do A$$i$. É A$$i$ e toda a laia dos moreiras que está nas mãos do Imortal. Um retrocesso agora, com a assinatura com qualquer outro clube do mundo, eu falei do mundo, significa que a famiglia Moreira deverá procurar outro lugar para viver para todo o sempre. A$$i$ sabe disto. Assim como todos os outros da famiglia.

Este é o rolo em que se meteram. E este é o problema agora. O Grêmio passa a ser a única opção para uma vida relativamente calma. Porque tem mais uma coisa: se ele vier e jogar mal, vai se complicar mais ainda.
É bom e gostoso vê-los neste dilema.
Feliz Ano Novo aos moreira$!

* Alhures é o mesmo que em algum lugar. Eu é que sou "inzibido".

"A Jardineira" do Gaguinho

Publicamos, em primeiríssima mão, a adaptação feita pelo Gaguinho da música Jardineira, de Benedito Lacerda e Humberto Porto.

28 de dezembro de 2010

Enquanto o Ano Novo não vem

As festas de final de ano, a janela de transferências e até a chuva no Rio atrasam o desfecho do assunto Ronaldo Moreira no Grêmio. A torcida espera. Pelo que se viu, a maioria para festejar a contratação. A receita é esperar, sem abri mão da cautela.
_____


A notícia agora é a possibilidade de Carlos Eduardo passar uma temporada no Olímpico. Se vier, será um reforço e tanto, dependendo, é claro, da sua condição física.
_____

Enquanto isso, por tabela, Rogério Mendelski revela que, o mesmo Juremir Machado que chamou Ronaldo Moreira de ex-atleta, acalentava o sonho de vê-lo jogar no aterro.
_____

Uma de cocheira: fiquei sabendo que o Gaguinho prepara versão de uma marchinha de Carnaval. Se sair, o blog lançará com exclusividade. Já está tudo acertado com ele e com o irmão, seu procurador.

25 de dezembro de 2010

Acautelai-vos

No dia 22/12, informamos no blog: "Ronaldo Moreira foi liberado pelo Milan e deve mesmo vir para o Grêmio." Recebemos a informação, que ainda não circulara na imprensa (a liberação pelo Milan), e repassamos aos nossos leitores. É importante destacar: não afirmamos que ele virá para o Olímpico.

A ressalva cabe, para prevenir frustração daqueles que ficaram entusiasmados com a notícia das tratativas.

Temos um fato: Ronaldo Moreira quer poder voltar a morar em Porto Alegre e seus atos passados lhe põem dúvidas sobre se conseguirá fazê-lo sem retornar ao Olímpico, para receber o "perdão" do clube que o pariu. Temos outro fato: a família A$$i$ encontra apelos fortes em coisas que estão distantes da paixão e do reconhecimento a quem os ajudou. Seus valore$ poderão aconselhá-los a resgatar o perdão mais adiante. Avaliam se uma frustração da torcida agora pode inviabilizar um negócio futuro, tamanha a ansiedade e expectativa geradas.

Quanto a mim, a vida ensinou que não se deve confiar em quem já deu mostras de que não merece confiança. Fico no aguardo do desfecho do negócio, sem abandonar as minhas desconfianças.

24 de dezembro de 2010

24 de dezembro


Desejamos a todos os nossos leitores
um Natal feito de paz e alegrias.

______
Comentário do seu Algoz
É tamanho o desespero e a falta de compostura dos co-côlorados com a volta do Ronaldo Assis que estou mudando de opinião. Tem um isento de um jornaleco de quinta categoria que, depois de transformar o Bla-bla-lho em blogueiro, numa desfaçatez sem limites, manhã sim, tarde também e noite nem se fala, procura mostrar que é inviável a vinda do rapaz para o Imortal. Vale a pena divertir-se hoje com a coluneta do elemento. Ele tenta mostrar que o Grêmio quebraria com a contratação e reproduz frases da época para causar intriga.
Pois me convenceu: seja bem-vindo Dentuço Pilantra! Mas trate de jogar bem.
 

23 de dezembro de 2010

Coisas para fazer hoje



1) Votar na capa futura do Olé, escolhendo a do Grêmio. Clique aqui e depois na bola sob a imagem.
2) Ver vídeo do Lins, o novo atacante tricolor. Clique aqui.
3) Checar atuações de Sebastian Coates, uma possibilidade. Veja aqui.
4) Fazer contato com Lucas, do Figueirense, outra negociação em andamento. Clique aqui.

22 de dezembro de 2010

Liberação

Ronaldo Moreira foi liberado pelo Milan e deve mesmo vir para o Grêmio.

Enquete do Moreira

Enquete

559 pessoas responderam a enquete do blog.
A pergunta era: "Você quer Ronaldinho Gaúcho no Grêmio?"

Resultado final:
Sim: 329 votos - 58,9%
Sim, mas só se for de graça: 128 votos - 22,9%
Não: 88 votos - 15,7%
Não tenho opinião formada: 14 - 2,5%

Aqui, como em outras enquetes realizadas, a torcida é favorável. Aguardemos.
_____

Comentários no blog

O número de comentários aumentou muito no blog. O teor chulo de alguns deles também, tornando mais trabalhosa a tarefa de liberar a participação dos leitores. Alguns deles eram editados antes da publicação, tendo removidas partes com linguagem inadequada ou mesmo com ofensas que poderiam trazer problemas ao blog e aos próprios autores dos comentários.

Assim, informamos que, a partir de hoje, textos com palavras ofensivas ou com acusações à honra de pessoas não serão mais "tratados" para ir ao ar. Tais mensagens serão apenas deletadas. Pedimos a compreensão dos leitores.
_____

Burroth

É justo. Como já se desenhava, o terceiro melhor treinador do mundo continuará a nos dar alegrias por mais algum tempo. Teoricamente, até o final de 2011.

21 de dezembro de 2010

O mundo está muito maluco

Um resumo do que foi 2010:

"O mundo está acabando. Faustão está magro. Silvio Santos está quebrado. Tiririca está alfabetizado. O Lula chamou o Ricardo Teixeira de honesto. O Curintia vai ter estádio. O Papa liberou o uso da camisinha. O Complexo do Alemão tá dominado. O Richarlyson chamou um juiz de viado e o Pachuca foi derrotado pelo Mazembe."

[Adaptado de texto recebido do Júlio Tricolor]

Lucas (do Figueira)



Notícias informam que o Grêmio está trazendo o jogador Lucas do Figueirense.
Para quem não sabe nada sobre ele: é um guri, excelente no apoio e bom na marcação. Tem muito futuro. Sempre que olhava um jogo daquele time tosco do Figueirense desejava que um dia ele fosse para o Imortal.
Espero que esta contratação se concretize.
_____

Ainda sobre o Podre

O Francisco, que passa o dia entre o Boteco do Ilgo e o Imortal Tricolor :), pergunta o que acontecerá com aqueles que são contra a volta do fujão.

Penso que o mesmo que acontecerá comigo. Não vou deixar de torcer para o Grêmio e, mais ainda, para que dê certo esta operação de altíssimo risco que a diretoria está fazendo. Um desastre poderá levar a uma crise de proporções incalculáveis.

Além disto, o Grêmio é muito maior do que a famiglia A$$iS Moreira. Por falar no gordo pai do gordinho que apresentaram como super-craque no cheira-rio (aliás, pela idade deve estar estourando, nem que seja de gordo), vejam esta notícia do ClicRBS de ontem:
O Grêmio também poderá tirar proveito da pressa do Milan em se desvincular do jogador. A partir de janeiro, seis meses antes do final de seu vínculo, Ronaldinho estaria autorizado a assinar pré-contrato com qualquer outro clube. Com isso, o Milan perderia o direito à indenização. Diante disso, seria conveniente negociá-lo por preço inferior ao valor de mercado.

E agora leiam o que o pagodeiro mafioso falou para o ClicRbs:
Mesmo que a possibilidade da volta de Ronaldinho atenda ao desejo de toda a família, Assis trata o tema de forma objetiva. Observa que o jogador tem um contrato por cumprir e seria desrespeitoso com o Milan comentar uma eventual saída sem consultar seus dirigentes.
Verdade, ordinário! Vocês fizeram exatamente isto ao fugir de Porto Alegre.

20 de dezembro de 2010

Fly Eliminates

Flagrante do avião do Terceirão do Mundo Phipha chegando em Porto Alegre.

Bem-vindo, te-terceirão!

O Gaguinho ligou, querendo deixar uma mensagem de boas vindas. Então, fala, Gaguinho.

É o se-seguinte, co-cô-lorados:
Não importa co-co-mo foi o seu dia.
O importante é voltar pra ca-ca-sa de ca-ca-beça erguida.


Obrigado, Gaguinho, pela sua boa educação.

Extra! Extra!

A Inter de Milão deve demitir o técnico Rafael Benitez. Certamente a diretoria considerou uma aberração o time milanês ter vencido o Mazembe por apenas 3 gols de diferença. Especula-se que um emissário do clube italiano estaria tentando interceptar o avião dos morangos em vôo de retorno da Ásia, para tentar contratar o terceiro melhor técnico do mundo, que está no avião.

19 de dezembro de 2010

Enquete

Opine, até terça-feira, à meia-noite, na enquete ao lado.

Será que eu já sou minoria?

Falando à Rádio Gaúcha, neste sábado, o presidente Odone afirmou com todas as letras: o Grêmio está negociando a contratação de Ronaldo de Assis Moreira. Segundo o presidente, ele "Ele está querendo se reconciliar com o Grêmio e, de certa forma, pagar uma dívida com o clube".

Farei algumas considerações sobre este assunto que mexe com a nação tricolor, abordando o assunto sob dois pontos de vista.
_____

Fala o coração

A saída de Ronaldo Moreira do Grêmio foi traumática. Para nós, torcedores do Imortal, que acompanhamos o clube e vamos ao estádio prestar apoio sempre, a forma como o jogador deixou o clube foi uma punhalada. Tudo que a família A$$i$ havia conquistado em termos financeiros até então saíra dos cofres do Grêmio. O jogador certamente tinha talento, mas o clube havia lhe dado suporte financeiro e investido na sua formação. Nas conversas com o clube, a família jurava amor ao tricolor e dizia que desejava a permanência do atleta no Olímpico por mais temporadas. Encoberto por esta cortina de "boas intenções", o irmão A$$i$ manobrava para obter a posse do seu passe. Conseguiu. Em 2001, o jogador deixou o Grêmio para ir jogar no PSG.

Iniciava-se, então, uma relação de ódio entre a família e a maior torcida do RS. Num dos capítulos, A$$i$ tirou seu filho Diego das categorias de base do Olímpico e levou-o ao aterro. Para anunciar a troca, foi montada uma operação de divulgação digna de um astro. O comedor de cheesburgers desapareceu, engolido pela sua mediocridade como atleta. O que restou do episódio foi mais um ato de beligerância da família contra o Tricolor.

No jogo de despedida de Danrlei, realizado há um ano, A$$i$ foi vaiado de forma contundente no estádio. Uma mostra indubitável do sentimento nutrido pela torcida em relação a ele.

Ontem à tarde, durante um programa da Gaúcha, até onde acompanhei, uma enquete proposta pelo apresentador dava mais de 80% de aprovação para o retorno do jogador ao Olímpico. Será que o sentimento da torcida do Grêmio mudou tanto em 12 meses? Representarão os votos vindos por telefone o sentimento da torcida que vai ao estádio, que senta no cimento, que se envolve em máximo grau com o time? Não acredito. Só me dobro a este surpreendente "perdão" se o resultado me for apontado por enquete feita no estádio, em dia de jogo.

Conheço muitos gremistas da melhor estirpe que se afastarão do Grêmio se Ronaldo Moreira retornar. A sua volta poderá provocar um esgarçamento na recém reconstituída sinergia time-torcida, que se havia perdido no período Autuori-Roth-Silas. Fala-se no efeito multiplicador de verbas que a volta representa, mas não há valor que pague o sentimento de traição que a família A$$i$ inspira. Será um retorno perigoso do ponto de vista da afetividade da torcida com o clube.

Fala-se que há concorrência de outros clubes para o seu retorno ao Brasil. Declaro desde já: nesta competição, quero o Grêmio derrotado.

O assunto envolve uma questão de caráter. A$$i$ não tem nenhum sentimento nobre pelo Grêmio. E aqui entra o outro ponto de vista sob o qual a questão pode e deve ser abordada.
_____

Fala a razão

Na entrevista, o presidente Odone fez uma revelação importante: Ronaldo Moreira quer parar de jogar e voltar a viver em Porto Alegre. Ocorre que o clima de animosidade o preocupa. Ele precisa solucionar isso, para poder viver aqui em paz.

Disse mais o presidente Odone: que em tempos passados, não muito próximo, sugeriu a Ronaldo um gesto de reconciliação, ações de benemerência com crianças carentes vinculadas ao clube... Enfim, palavras e atos que demonstrassem consideração pelo clube. Nas palavras do Presidente, o assunto "não andou".

A razão chega a conclusões a partir de premissas. Quando a aposentadoria estava num futuro relativamente longínquo, o assunto "não andou". Agora, que o tempo do pijama e do chinelo se aproxima, o cidadão deseja "se reconciliar", cabendo ao Grêmio desembolsar uma fortuna para atender à necessidade pessoal de Ronaldo Moreira.

Em resumo, a razão assim me fala: Ronaldo Moreira quer viver em Porto Alegre. Ronaldo Moreira teme ser hostilizado em Porto Alegre. Ronaldo Moreira precisa resolver esta questão pessoal. Então, o$ Moreira$ querem um armistício com a torcida do Grêmio, que será obtido com a volta do jogador ao Olímpico. Para satisfazer esta necessidade pessoal, o clube que eles querem "voltar a amar" terá de desembolsar R$ 10 milhões.

Honestamente, nem o meu coração e nem a minha razão recomendam este negócio. Faço votos que os novos dirigentes do Grêmio tenham um lampejo de inteligência e mudem os termos desta negociação ou sejam derrotados nesta transação por negociadores de outros clubes, sem coração e com razões que a minha razão desconhece. Faço meus melhores votos que os A$$i$ consigam o $o$$ego que tanto almejam onerando outros cofres.
_____

Adendo do seu Algoz

Não tiro uma vírgula do que o Arigatô escreveu acima. Nada. Concordo integralmente. Mas também me assustei com os comentários favoráveis à volta do Pilantra. Chego a pensar que vêm de jovens entre 15 e 20 anos que não viveram aquele episódio nojento.

Mas pego alguns destes comentários para apontar um outro aspecto esquecido, ou deliberadamente deixado de lado pelo Arigatô. E aqui, para efeito de raciocínio, convido a todos esquecerem que este rapaz já jogou no Grêmio. Vamos imaginar que ele iniciou no Real Madri e deseja jogar no Imortal pelo tamanho e pela fama do clube. A principal razão apontada para a vinda dele seria o retorno de marketing.

Yes Moisés, marketing é importante, mas não há maior marketing para um clube do que ganhar títulos. Ronaldo Nazário, o exemplo mais usado pelos desejosos da volta do fugitivo, deu um tremendo retorno de marketing ao Corinthians. Mas eu pergunto: o que o Corinthians ganhou em campo com Ronaldo afora uma Copa do Brasil em cima do timinho? Nada. Pergunte a um corinthiano se ele prefere ganhar dinheiro ou títulos.

Sabe-se ainda que jogador que ganha muito acima dos demais causa problemas no vestiário. É próprio do ser humano que isto ocorra. Imaginem agora o que causaria de problemas um ex-jogador ganhando os tubos. E imaginem então um ex-jogador hostilizado por grande parte da torcida. Seria o fim da sinergia clube-torcida duramente  reconquistada.

Rogo a Deus que esta ignonímia não ocorra. E que o pilantra, se quiser morar em Porto Alegre, contrate guarda-costas. Cada um colhe o que plantou.

Ah ... Se for retorno de marketing o problema, Renato vale 1 milhão de Dentuços pilantras.

18 de dezembro de 2010

Resumo

Como era de se esperar, o Inter legítimo passeou em campo e ganhou do TP Mazembe com um pé nas costas.

Ufa! A honra está salva.

Com sobras. Aliás, com sobra de 1 gol, salvou-se a honra do aterro. É claro, teve o gol em flagrante impedimento do Alecssandro, sobre o qual a imprensa barata não disse um pio. Aí, não haveria sobra na vitória do "terceiro melhor time do mundo", segundo classificação do Pedro Ernesto e, depois, do Rafael Sobis. Claro, nesta lógica o time coreano, cujo nome não arrisco digitar, é a quarta potência do futebol mundial, e até o poderoso Al-Wahda tem lugar como "sexto melhor time do mundo".

Então, salva a honra, deixamos aqui os nossos parabéns ao Terceirão Mundial PHIPHA.

Sábado apocalíptico e jornalismo sério


Hoje é um grande dia para o co-cô-lorado. Eles lutarão pela honra de serem terceiros no Mundial PHIPHA. Em um campeonato em que normalmente há só dois times e que, casualmente este ano só tem meio time (a outra Inter), realmente o terceiro lugar é um motivo de honra. Bom que agora eles começam a reconhecer o próprio tamanho. Se bem que para perder esta soberba e este complexo de superioridade precisariam de mais umas 30 tundas. Talvez mais uma ocorra hoje. Algo me diz que sim.

_____

E alguns isentos mostraram finalmente a cara. Talvez porque o preço pago não inspire muito a escrever coisas boas sobre produtos comprovadamente ruins, um deles entregou o blog direto para o "contratante". Com  isto, Bla-bla-lho virou blogueiro. Que tempos de desfaçatez este em que vivemos!
_____

Enquanto isto manchete da Ero-Ora: 10 milhões separam o Dentuço Pilantra do Grêmio. Está certo. Não foi bem esta a manchete. Eles chamam o Pilantra de outro nome. Mas aí vai-se ler a notícia e eles falam que o Grêmio pagaria 10 milhões e o A$$i$ os outros 10 em publicidade com o Dentuço. Fala que o Grêmio não tem dinheiro para pagar a contratação e blá-blá-blá.

De repente a reportagem larga o seguinte:
A volta de Ronaldinho ao Estádio Olímpico nunca esteve nos planos da gestão Odone. Assim que foi eleito, o presidente participou de uma entrevista coletiva na sede do Grupo RBS e descartou qualquer possibilidade de retorno:

Well Manuel. Se eu fosse dono e a empresa fosse séria, esta matéria seria suficiente para demissão por justa causa. Pode-se escolher se por incompetência ou por desonestidade.
____

Mas agora vou parar para me preparar. Ninguém pode perder um jogo em que um dos participantes joga pela honra.

17 de dezembro de 2010

Rastros da soberba

É difícil parar de rir. De todos lugares brotam motivos para cair na gargalhada. O fiasco foi estrondoso. A real dimensão do que aconteceu na terça-feira em Abu Não Da-bi ainda não é conhecida, mas pode-se coletar indícios de que a providência divina atuou de forma muito oportuna no inesquecível 14/12/2010.

O canteiro da soberba, cultivado no aterro, estava sendo regado com coisas inimagináveis. Acreditem, trabalhavam para firmar externamente a imagem de como se viam: uma neo-aristocracia fundeada às margens do lago. Já se enxergavam como seres superiores. Aguardavam apenas o calendário passar.

Não vou descrever as coisas que encontrei na internet. Olhem por si mesmos. Primeiro, analisem a imagem abaixo. Depois, visitem o link informado para conhecer a bizarrice que preparavam nos bastidores.

Abaixo, imagem da porta da esquisitice.


Agora, cliquem aqui e vejam do que o Mazembe livrou o mundo. Só um alerta: aconselho aos mais fracos de estômago acautelarem-se, ingerindo dois comprimidos de Engov antes de entrar neste circo de extravagâncias, porque a bazófia é grosseira e de uma impostura inacreditável.
_____

Depois, vem a imprensa barata, e até alguns insuspeitos, recriminar o Presidente Odone e o Antonini por terem se deliciado com o fiasco mundial ocorrido na terça-feira. É a vida, meus caros isentos baratos. Quem planta arrogância, colhe pilhéria. Quem semeia soberba, coleta desdém. E assim será, pelo século dos séculos. Amém.

16 de dezembro de 2010

Foi feio

Primeiro terremoto no Brasil a causar estragos. A recuperação deve levar 50 anos no mínimo.


Cheira-rio depois do terremoto

Guinness absoluto


Mais um título mundial do timinho.
Mais um feito histórico do grupo (Queeeeeeeee grupo!): vão para o livro dos recordes como o maior velório brasileiro no exterior.
Dez mil participantes: Queeeeeeeee velório!

.....

Defuntos vagueiam pela cidade.

.....

Fantasmas movem-se no hotel.

15 de dezembro de 2010

Da série: Os bobos do futebol - 5

O maior dos bobos é aquele que perde pra time bobo.
Clube grande não morre na véspera.
Inter_real 3 x 0 Time Bobo da Coréia .

Da série: Os bobos do futebol - 4


Foto montagem by Arigatô.

Novo desodorante


Criação do leitor Lisandro de Paula.

Da série: Os bobos do futebol - 3

Frase catada na internet: "Para o Grêmio tudo é mais difícil. Achar uma camiseta do Ajax é fácil, mas vai procurar uma do Todo Poderoso Mazembe pra ver."

14 de dezembro de 2010

Da série: Os bobos do futebol - 2

Acreditem: hoje pela manhã, saiu um vôo fretado de Porto Alegre, transportando 300 torcedores morangos. Destino: Abu Dhabi. Objetivo: assistir à final do Mundial Phipha.

Da série: Os bobos do futebol - 1





E ainda dizem que não tem mais bobo em futebol.

Este é Celso Roth!

Eu avisei aos meus amigos colorados que era muita grana e muito longe para um jogo só. Infelizmente, não me ouviram.

Pagando a conta

Na última eleição dos Clube dos 13 (Fábio Koff x Kleber Leite), o ex-presidente do Grêmio venceu (12 x 8 votos) não só a eleição, mas a Globo e a CBF. Votaram a favor de Leite: Botafogo, Corinthians, Coritiba, Cruzeiro, Goiás, Santos, Vasco e Vitória. Agora, a CBF paga parte da fatura, reconhecendo como "campeonatos brasileiros" os torneios disputados entre clubes do Rio e São Paulo. Ainda vai chegar o dia em que alguém pagará para que torneios disputados no Oriente Médio sejam reconhecidos.
_______

Adendo do seu Algoz: Vaidade ou fanatismo?

 Gente vaidosa não falta. No jornalismo então, o não vaidoso é a exceção. Muitas vezes a vaidade é confundida com o fanatismo. O jornalista é isento e pelo fanatismo, ou pelo fanati$mo, não reconhece o erro de jeito nenhum.
Havia dúvida entre os gremistas com relação ao André Lima. Até este blog fez menção a isto. Pois André Lima veio, viu e venceu. Hoje é reconhecido pela quase a totalidade da torcida e por boa parte da imprensa, mesmo a moranguinha.
Mas tem gente que não se entrega.
Um leitor do Zini, postou o seguinte comentário no blog do elemento:

Como vocês jornalistas gostam de criar intriguinha inútil.

Outro dia eu fiz um comentários que ñão foi publicado.
Eu perguntei se você iria falar do André Lima, eu digo isso porque quando ele foi contratado, você, Zini, disse que o André era igual ou até PIOR que o William, ex-Avaí, o ideal não seria parabeniza-lo em seu blog por ter feito exatamente o contrário do que o senhor falou dele?
O citado poderia ter grandeza. Reconhecer o erro. Ou, em última hipótese, também aceitável, não responder ao leitor. Mas não. Em pleno delírio respondeu assim ó?
Resposta

William faz 14 gols na Série B
André Lima marcou 11 na Série B
Sem comentários.
Então: vaidade ou fanatismo?
Resposta mais do que evidente: os dois.
E depois querem ser lidos e respeitados. Pobres coitados.

Palavra fácil

Valorização. Todo empresário de futebol conhece esta palavra e seus representados costumam repeti-la, notadamente no mês de dezembro. Antigamente, ela era usada quando o profissional havia conquistado um título de relevância. Depois, banalizou-se até se tornar a palavra fácil que é hoje.

Lembram do Roth (toc, toc, toc) em dezembro de 2008? Foi com este papo para cima do Duda e do Meira (double toc, toc, toc). Queria ser valorizado por ter conseguido perder o Brasileiro daquele ano. E não é que foi?

Hoje, alguns jogadores do Grêmio falam em valorização. Por que mesmo? Ganharam o que mesmo? O direito de ir para a Libertadores?

Longe de mim desmerecer a arrancada do time do rodapé da tabela até a quarta colocação. Mas falar em "valorização" por isso desmerece a palavra. Melhor seria se o futebol do Grêmio fosse gerido por resultados. Um bom salário, para dar tranquilidade ao boleiro, e prêmios expressivos por conquistas. Senão, vem um medalhote (e como vêm), enche as burras (e alguns, potrancas) de dinheiro, não coloca uma faixa e vai embora. E o que é pior, muitos vão alegando que não foram "valorizados".

Um time de futebol se alimenta de títulos. A relação deveria ser assim: o clube compra os títulos ganhos pelo elenco. Reconhecimento a posteriori. Ganhou, toma o teu valor. Mas o mundo do futebol não funciona desta forma e alguns querem ser valorizados sem ter feito nada de excepcional. É isso mesmo! Conquistar vaga para a Libertadores não pode ser medida de sucesso. Títulos ganhos, esta é a régua adequada.

11 de dezembro de 2010

Pagando pau



Time intermunicipal é isto. É isso que consta na página 10 do documento abaixo.

http://es.fifa.com/mm/document/fifafacts/mencompcwc/01/15/71/66/statskitcwc2010.pdf

Timinho da piada pronta.

Dica do Tapejara nos comentários do post abaixo.

Perspectivas e vacinação

-
-  Ei tio. Não pensa que me engana não.

Eu, seu Algoz, não gosto do Antonio Vicente. E não estou gostando de algumas coisas que vejo neste começo de 2011. A dispensa dos Paixão preocupa e mais ainda a possível parceria com a Traffic. Se a primeira atitude pode ter como causa questões internas que não sabemos, a segunda me parece muito parecida com a história da ISL, embora não seja a mesma coisa. A Traffic, para quem não sabe, já foi parceira do Palmeiras e do Atlético Mineiro. Antes destes times caírem para a segunda-divisão.
Uma conseqüência destas parcerias é a acomodação de medalhões já desmotivados por um tempo enquanto não se encontra um time otário do Cazaquistão ou similar que sirva para fim de linha do antigo craque.
O Grêmio, todos sabem, sempre foi campeão quando juntou juniores com grande potencial a jogadores vindos de clubes menores querendo crescer e uns poucos veteranos com alma vencedora. Um ou dois craques como cereja do bolo ajudam e bastante.
Os nomes especulados assustam, embora sempre haja a esperança que sejam apenas balões de ensaios plantados por empresários ávidos. Diego Souza, por exemplo, é parte do passado e não deve jamais se tornar opção para o presente.
Certo está um comentário que sugere garantir os que aqui estão antes de sair atrás de jogadores capazes de "lotar aeroporto".
O time de 2010, nas mãos de Renato provou que pode ir longe. Livrar-se de Leandro, Souza e garantir Gabriel, Vilson, Paulão, etc. deve ser a prioridade um.
Agregar Lucas ou Anderson seria a realização de um grande sonho.
O resto se ajeita.
_____

Enquanto isto ...

Pois o óbvio e ululante e tão óbvio e ulula tão fácil que faz até a gente pegar nojo. A equipe de vacinação estava a postos. Foi terminar a pelada entre um coitado do México e um mais coitado ainda de algum recanto da África que a manchete, pronta há dias saltou na internet: Mazembe foi uma grande surpresa. E continuava: defesa forte e ataque ágil, blá-blá-blá.
Pois o Aff...tato parece que estava sendo até modesto. Certa imprensa não é barata. Ela é, na verdade, ridiculamente barata.

10 de dezembro de 2010

Papel de parede monstro

O papel de parede abaixo é mais uma obra do Ducker.
Deixo aqui para os amigos do blog. Clique na figura para ampliar.

Agenda de janeiro/2011

O ano vira em seguida. Logo no início da segunda quinzena, começam os compromissos do Gauchão, o cafezinho preparatório da temporada. Anotem aí os primeiros compromisso da agenda:

16/01 - 17:00 - Grêmio x Lajeadense
19/01 - 20:30 - Ypiranga x Grêmio
23/01 - 17:00 - ULBRA x Grêmio
26/01 - 20:30 - Grêmio x São José

Aqui, já há uma coincidência de datas. Nossos jogos com o Liverpool serão disputados nos dias 26 de janeiro e 02 de fevereiro.
_____

A arrancada fulminante com Renato trouxe uma grande energia para o universo gremista. Bem canalizada, pode render muitos bons frutos e canecos.
_____

Para nós, que alimentamos este blog sempre cavando tempo de outras atividades e muitas vezes raspando o que restou de energia no final do dia para construir mais um post, foi gratificante ver a quantidade de leitores que confluiram para cá ao final do jogo de quarta. Era como se quisessem compartihar a alegria da classificação com outros torcedores do Imortal e escolheram este espaço como ponto de encontro. São momentos como este que nos estimulam a seguir em frente.
_____

Tristes sons

Buenas, os gritos ensandecidos ouvidos na quarta-feira, quando ocorreu o gol do Goiás, ficaram para trás. Deles, resta apenas o eco como lembrança sonora de um comportamento menor, amedrontado, próprio de quem sofre de complexo de inferioridade. Mas, enfim, é passado. Não tem jeito, o São José vai mesmo para a Copa do Brasil.

9 de dezembro de 2010

Parabéns, São José!


E o Zequinha chegou lá. Em 2011, o Esporte Clube São José vai disputar a Copa do Brasil pela primeira vez na sua história. Parabéns, São José! Parabéns, Chico Novelletto. O São José merece.



_____



8 de dezembro de 2010

Cadê o Grêmio que estava aqui?

Como já sabemos todos, no dia 17 de novembro, tornou-se pública uma gravação de um candidato a presidente de um certo clubinho do RS, na qual ele afirma:
Eu aprendi uma coisa nestes últimos (...) que eu também não conhecia. A imprensa hoje, ou parte da imprensa, principalmente essa imprensa que cuida do futebol, é uma imprensa barata.
Leia a matéria e ouça o áudio aqui.
_____

Em 31/05/2010, na mais ampla pesquisa já feita no Brasil, o Grupo Lance e o Ibope divulgaram o tamanho das torcidas brasileiras. Veja aqui a matéria e o vídeo. Veja também, abaixo, o gráfico com o resumo do trabalho.

_____

Um mês antes, em 27/04/2010, a Datafolha divulgou seus números, mostrados a seguir.


Prestem bastante atenção a eles, pois um mistério superinteressante vai acontecer.
_____

A jornalista Ana Carolina Prado, é menos bonitinha do que a personagem descrita por Nelson Rodrigues na peça que virou filme, tendo Lucélia Santos no papel principal. Pois, em 06/12/2010, Ana Carolina Prado preparou uma matéria sobre as "7 maiores torcidas do país" para a revista Superinteressante. São citadas as torcidas do Flamengo (17%), Corinthians (14%), São Paulo (8%), Palmeiras (6%), Vasco (4%), Cruzeiro (3%) e, supersurpreendente e superbaratamente, Internacional (3%). Vejam a matéria aqui.
_____

Os números são reprodução exata da pesquisa Datafolha, exceto pelo fato de que o Grêmio, apontado como a sétima maior, com 3,6 milhões, sumiu na matéria da moça para dar lugar aos compradores de ocasião. Para justificar, ela faz uma ginástica de desempate de percentuais, desconsiderando que nos números absolutos não há empate. Não é um barato essa imprensa nacional que cuida do futebol ou também a que se mete a cuidar dele?
_____

Alguém do Grêmio precisa se manifestar sobre essa mentira, que começa a ser repetida para se tornar verdade, no mais clássico estilo de Goebbels.

7 de dezembro de 2010

E agora? Será que vai?

Diante do passado recente, não se comemorou. Mas aqueles que acreditam em Deus, rezem para que desta vez o Simon cumpra a palavra.
Já vai tarde ele. Ou será que não vai? Faltará com a palavra de novo?

6 de dezembro de 2010

Carta al Rey de Copas

Todos sabemos que nas décadas de 70 e 80, o Club Atlético Independiente empilhou títulos. Tantos foram os canecos conquistados que vem daquela época o auto apelido de Rey de Copas. Porém, hoje os tempo são outros. O futebol argentino e seus clubes claudicam. Noutros tempo, um jogo entre o rebaixado Goiás e o Diablo Rojo seria uma brincadeira de gato e rato. No más.

Certamente o Independiente quer muito vencer a Sul Americana. Não que vá lhe dar o valor que times pequenos dão. Afinal, o Independiente carrega 7 Libertadores da América na mala. Quererá vencê-la mais pelo fato de representar a quebra de um longo jejum e o direito de disputar La Copa.

Senhores de Avellaneda,
há uma forma da conquista ser obtida de forma tranquila: pintar o seu estádio de azul. Não literalmente; não por fora. Quero dizer pintá-lo de azul por dentro. Sendo mais explícito: que a Diretoria do Independiente reserve os 50 mil lugares do estádio Libertadores de América para serem ocupados pela torcida do Grêmio. Iremos em caravana, invadiremos o cancha, empurraremos o Independiente para a vitória e, ao final da contenda, lhes entregaremos a taça.

Missão cumprida, prometemos voltar ao Olímpico. Retornaremos entoando  "sirvam nossas façanhas de modelo a toda a Té-é-rra, de-ê modelo a toda a Terra!" E, em 2011, teremos grande satisfação em tê-los como Vice-Reyes de la Copa.

5 de dezembro de 2010

Serviço entregue

Renato prometeu. Renato cumpriu.
O jogo de hoje foi pouco mais que um treino.
Tranquilo. Sem traumas. Em nenhum momento pareceu ser uma disputa de vaga para a Libertadores.
Victor assistiu ao jogo como um privilegiado. A defesa não deu e nem levou susto nenhum. O meio de campo fez o que tinha de fazer sem aparentar esforço demasiado. E o ataque mostrou porque é o melhor deste campeonato.
Urge renovar com Jonas e André Lima.
E manter todos os outros. Grêmio campeão do turno com incríveis 43 pontos em 19 jogos. Se não fosse Silas poderíamos projetar 86 pontos em todo o campeonato. O "grande" campeão terminou com 71.
Resta a certeza de um 2011 muito promissor.
_____

Adendos do Arigatô

No início do jogo, o Grêmio demonstrou que estava determinado a vencer o jogo. Isso até o acidente envolvendo Rafael Marques e Loco Abreu. Depois do acidente, nada mudou. O Tricolor continuou dominando o Botafogo e a vitória veio ao natural.
_____

Como atuaram

Victor: Alguma dúvida?
Gabriel: Voltou desatento e um pouco fora de ritmo. Normal.
Paulão: O melhor da zaga, no segundo tempo.
Rafael Marques: No primeiro tempo, foi o melhor da zaga.
Fábio Santos: Eficiente. Boas triangulações com Lúcio e quem mais caísse pela esquerda.
Fábio Rochemback: Custou a estrear, mas acaba o ano como uma afirmação.
Adilson: O melhor do meio campo. Esse alemão marca muito.
Lúcio: Errou muito pouco. Acertou muito. A recuperação do time no campeonato passa por ele.
Douglas: Perdeu as bolas de todo o jogo, mas teve boa atuação.
Jonas: Errou um gol incrível. Deixou o seu. Ou seja, normal.
André Lima: Chegou mal referido, mas a camisa tricolor parece que o ensinou a jogar. Destaque como atacante e ajudante da defesa. Tem ganas de ganhar.
...
Neuton (Fábio Rochemback): Entrou bem.
Gilson (Lúcio): Sem tempo.
Diego Clementino (André Lima): Errou de forma inexplicável o seu gol. Talvez por achar que era cedo para fazer o gol e manter a mística.
...
Sandro Meira Ricci: Sem critérios para aplicar cartões. Permitiu jogadas violentas. Por engano, acabou o jogo por pensar que Clementino já havia feito gol.
_____

Melhores momentos (do primeiro tempo)

545

O terceiro gol

4 de dezembro de 2010

O antes é fundamental

Leio muita gente preocupada se o Independiente conseguirá reverter o resultado na Argentina. Digo apenas: é cedo pra pensar nisso. Antes da quarta, tem o domingo. E, no domingo, todo o cuidado, toda a garra, toda a determinação e toda a gana de vencer serão pouco. Não podemos desconcentrar do Botafogo.

O jogo da quarta só deve ser pensado após as 19 horas de amanhã. Até lá, mentes e punhos direcionados para o gramado do Olímpico.

3 de dezembro de 2010

Borrando as calças

Quarta-feira fui comer um churrasco na casa de um amigo moranguinho. Encontrei lá outro grande amigo moranguinho. O churrasqueiro também era moranguinho.
A churrasqueira num anexo um horror. Prato, copo, parede, tudo cor de rosa e com aquele distintivo que parece um novelo de tricô.
O papo ia animado mas percebi certa excitação crescente. Até que o churrasqueiro falou que era quase 10 horas e que era hora de ligar a tv. Pensei que o timinho ia enfrentar o Grêmio falso, mas para minha surpresa o que eles queriam e fizeram, foi torcer desesperadamente para o Goiás. Eu, o principal e único interessado direto no jogo, tinha até esquecido em função do excelente papo e da boa bebida.
Sim amigos e amigas. O que mais apavora os morangos não é a final do PHIPHA. É encontrar o Imortal na Libertadores. O desespero é constrangedor.
_____

O que eu acho? Que passando do Botafogo estaremos lá. O Goiás não resiste na Argentina.

Um relato da Batalha

Reproduzimos, abaixo, relato recebido do leitor Rafael Tavares Pinto, sobre o dia 25/11/2005. A data já passou, mas o relato carrega a toda a emoção daquele dia e vale à pena ser lido.

Amanhã, completam-se 5 anos daquele fatídico e memorável dia 26/11/2005: a mundialmente conhecida Batalha dos Aflitos. Neste momento que vos escrevo já me sinto tomado pela emoção que vivi aquele dia. É por isso que me adianto um dia e faço esse relato pra vocês, que com certeza devem compartilhar de sentimentos e histórias desse que foi um momento incrível de nossas Tricolores vidas.

Esse dia é especial demais na minha vida, não só pela carga de emoções que vêm com ele. Mas, é que foi neste dia que o Gremismo (este vírus incurável, que tanto falamos no GremioCopero) foi irremediavelmente inoculado ao coração da minha atual noiva – e futura esposa (à época, namorada a 9 meses).

No começo do nosso namoro, eu evitava o falar, ouvir e assistir qualquer coisa sobre o Grêmio, pois ela não havia manifestado, até então, nenhum interesse. Com medo de ser um chato pra ela, evitava. Contudo, sofria. Sofria com o Grêmio, eliminado do Gauchão, chafurdando na série B e jogando seus primeiros jogos em um aterro amargo e vazio. Sofria por não poder compartilhar com ela tudo isso, achando eu (erroneamente, descobri depois) que não deveria chateá-la com isso – o que o medo de perder a mulher da nossa vida faz com a gente...

O ano foi passando e eu espreitando o Tricolor sempre que podia. Lembro de um episódio tragi-cômico: estava eu na casa dela, em um sábado à noite. O Tricolor fazia sua estréia contra o Gama, no DF. Eu louco pra ouvir o jogo. Qndo ela se distraia, ia no radinho escutar. Numa destas escapadas, ouvi o gol do Andershow e me tranqüilizei. Mas, tínhamos muito a sofrer, o Grêmio levou a virada e a tristeza tomou conta de mim.

O ano foi passando e, aos poucos, fui introduzindo o Grêmio em meio a nossa relação. Lá pelas tantas, durante o primeiro quadrangular da fase decisiva, ela assistiu, em algum programa esportivo, a avalanche da Geral e se encantou. Então, veio o pedido: quero ir ao estádio para ver de perto este fenômeno (começava ali a caminhada para um destino sem volta...). Fomos ao jogo Grêmio 2 X 0 Sta. Cruz.

No dia 26/11, naquele sábado de tempo bom na região Metropolitana, estávamos na minha casa, em Viamão. Havia sido um ano sofrido, futebolisticamente falando. No trabalho, as coisas até que corriam bem. Todavia, a grande alegria que eu tinha vivido naquele 2005 foi ter deixado entrar em minha vida a Cristiane Colin – a Cris. O dia amanheceu e logo vesti o manto sagrado – e pendurei outro na janela, claro. Ela chegou no início da tarde, nem imaginava o que a aguardava. Me encontrou nervoso, uma pilha. Começou o embate contra o Náutico e ela ao meu lado, assistindo pela TV. Meu pai, como já contei no Blog – história que me valeu o livro do irmãos Bueno, entregues pelas mãos da Aline (deixo aqui, novamente, meus agradecimentos), ficava no vai-vem à frente da tela, se preparando para sair ao trabalho.

Quando o gatuno que vestia amarelo marcou o pênalti, entrei em um transe inexplicável. Fiquei olhando para a TV, mas não via nada. As palavras do Pedro Ernesto iam entrando nos meus ouvidos, só que eu não processava, o cérebro estava travado. Ela, a Cris, ao meu lado, pálida, assustada com a minha reação. Meu pai levantou-se e saiu, dizendo que ia trabalhar, passou esbravejando alguma coisa que não lembro e saiu porta afora. Fiquei sentado na pontinha da poltrona, “face-to-face” com a televisão. A primeira lágrima escorreu. As expulsões acontecendo e eu sem reação alguma. A Cris ali, acompanhando tudo, sem saber o que fazer. Aqui, faço uma pausa para citar a minha mãe: para azar dela, o seu clube do coração não é o Grêmio. Porém, pelo Gremismo estar sempre presente na nossa casa, ela, lá no fundo, sempre torceu por nós. A desculpa dela é de que gosta de ver a felicidade dos filhos e do marido. Sei... Pois a minha mãe ficou acompanhando de longe, preocupada com o que poderia acontecer, talvez eu tivesse um “piripaque”. O gatuno autoriza a cobrança e a bola vai ao encontro de Rodrigo “São” Gallato. Não esbocei reação, continuava no mesmo lugar, ponta da poltrona, braços apoiados sobre os joelhos. Apenas, as lágrimas que se multiplicavam. Quando Andershow fez o gol, aí sim. Tudo aquilo que estava guardado em mim (o sofrimento e a queda de 2004, as chacotas da mídia amarga durante o interminável 2005, além dos acontecimentos do próprio jogo) saiu em forma de um urro assustador. Me joguei no chão e gritava, mas gritava muito. Qndo me levantei, dei de cara com a Cris chorando, sem saber o que fazer, se devia ficar feliz ou triste. Demos um forte abraço e, naquele momento, o que eu já desconfiava se confirmou: aquela mulher seria a mulher da minha vida e o Gremismo havia tomado conta dela.

Em cinco minutos, apareceu meu amigo Edison, o Dinho. Enquanto eu o recebia entre abraços, choro e tudo mais, tocou o telefone de casa. Era o Pai: -“Rafa, o que está acontecendo? Estava no ônibus, todos em silêncio (Gremistas todos, claro). De repente, tocou o celular de alguém, que atendeu meio sem vontade. Essa pessoa começou a mudar o tom de voz, ficar eufórica, só falava que não acreditava, não acreditava. Neste momento, o ônibus em POA, comecei a ver pessoas saindo de tudo que era lugar, com bandeiras do Grêmio... Não agüentei, desci antes do meu destino e te liguei. O que que tá acontecendo?!”. Eu não conseguia falar, só chorava (estou chorando agora, lembrando de tudo isso).

Depois disso, Cris, Dinho e eu saímos pela cidade feito doidos a comemorar. Foram dias assistindo a todos os programas que falassem sobre aquele jogo, buscando todas as entrevistas dos envolvidos, recortes de jornais (que guardo até hoje) e, até, a transformação do “Inacreditável, inacreditáaaaaaavel!”, do Pedro Ernesto, em toque de celular, para desespero dos colegas de trabalho rubros.

Enfim, todas as grandes conquistas do Tricolor me tocam fundo e sempre me emociono ao lembrar. Mas, esta, tem um sabor diferente, não há como negar.

Encerro com as seguintes palavras:

- Pai, como eu queira ter estado contigo (de certa forma, estava) naquele hospital, durante a final do Gauchão de 77, te acompanhando nas loucuras e deixando as enfermeiras malucas! Obrigado por ter me tornado o Gremista que sou hoje.
- Cris, eu te amo e o teu companheirismo de todas as horas, inclusive as do Monumental, é indispensável pra mim.
- Grêmio: nada pode ser maior!

1 de dezembro de 2010

É quarta

Hoje, 22 horas, Goiás x Independiente. Noite para ligar a TV despretensiosamente e olhar os movimentos de campo, enquanto se estuda os números do balanço de um banco da Patagônia.
_____

Leandro foi suspenso por 6 dias e não volta ao Olímpico antes de 2011. Não parece ser uma punição. Na verdade, apenas tiraram o jogador do vestiário na semana decisiva. Que herança!
_____

O Instituto Ronaldinho Gaúcho, inaugurado com pompa, marketing total e anunciado pelo próprio como "o maior gol da minha vida" fecha as portas no final do ano. Sem comentários.

30 de novembro de 2010

3 jogos e 1 destino

Não tergiversemos: o Grêmio é favorito para terminar o Brasileiro em 4º lugar. Contra o Botafogo, jogará em casa por um empate, com a torcida na arquibancada lotada, o time em campo sabendo o que faz, Renato na casamata e com Souza, no máximo, no banco. Então, pela lógica, não há como algo dar errado. Deveremos ser nós o quarto colocado.

Porém, em futebol, a lógica costuma desaparecer quando a bola começa a rolar. É por isso que o estádio tem que estar cheio e a torcida tem que ir a campo disposta a levar a vaga no berro, que é como jogam as boas torcidas.
____

Mas este é apenas um dos capítulos da empreitada. E é o capítulo do meio. Antes dele, amanhã, ocorrerá o primeiro jogo da final da Sul Americana. Este, um embate traiçoeiro. O nosso destino estará entregue aos pés dos outros. Entregar a sorte para terceiros é sempre uma loteria. O Goiás tem sido um time surpreendente e não escolhe pólo para causar surpresa: tanto pode vencer um jogo inusitado fora de casa, contra um clube grande, quanto pode sucumbir na missão de permanecer na primeira divisão. Na outra quarta-feira, já findo o Brasileiro, o Goiás jogará pela honra e tudo pode acontecer.

Assim, para nós, o Brasileiro terá prorrogação. Medida essencial se faz necessária: retardar as férias do Clementino. Que seja preparada uma poltrona no Olímpico, onde ele deverá se acomodar para assistir ao jogo final da Sul Americana, com fardamento completo. Mas a TV só poderá ser ligada aos 34 minutos do segundo tempo. Isso feito, a classificação é certa.
_____

A lógica dos baratos

A imprensa barata, não cansa de opinar torcendo. Se a Conmebol diz que, sendo brasileiro o campeão da Sul Americana, para a Libertadores se reduzirá uma vaga dos brasileiros no campeonato nacional, os baratos especulam que a regra não vale para os outros países. Sendo a LDU campeã e tendo obtido vaga em seu campeonato, sonharam eles: o representante seria o vice. Ou o time vizinho de um parente da mãe do Badanha. Ou, ainda, o flamante campeão da Copa Ênio Costamilan. Esse pessoal, pelos exercícios de imaginação que precisam desenvolver, merece ganhar mais.
_____

O ano que não houve

Mário Fernandes perdeu um ano. Na volta da cirurgia no ombro, um tornozelo torcido. Desejamos melhor sorte para este que é o zagueiro mais promissor da atual safra de jogadores brasileiros.

29 de novembro de 2010

Imagens do jogo

Recebemos duas fotos do torcedor André Pereira, nascido em Cruz Alta e morador de São Paulo desde 2000, que ilustram momentos do jogo Guarani 0 x 3 Grêmio.


Jonas faz o segundo, de pênalti.




Jogadores e Renato saúdam a torcida, ao final da partida.

_____

Vejam os principais lances do jogo

Obs: A defesa mais difícil (uma cobrança de falta que é tirada do ângulo por Victor) não é mostrada no compacto.

28 de novembro de 2010

Bacalhau à Bras

Atualizado com os gols, às 19:40 h.



Acordei com o desejo de desfrutar um belo almoço, porque o dia tinha um significado especial. Então, passou pela mesa um bacalhau feito com o cuidado adequado. Foi a preparação para ver o jogo da tarde, no qual o Grêmio derrotou o Guarani de forma inapelável: 3 x 0. A lamentar a nova lesão de Mário Fernandes.
_____

Ao contrário do que berra o placar, o jogo não foi fácil. Victor trabalhou muito, mas vencemos e era tudo que importava.
_____

Concluída a rodada, um resultado prático: os petralhas estão fora da briga pelo quarto lugar. Só Grêmio e Botafogo lutam pela posição. O empate é nosso.
_____

Como atuaram

Victor: É Victor e foi o melhor em campo.
Mário Fernandes: Não jogou.
Paulão: Espantou tudo, como sempre.
Rafael Marques: Discreto, mas seguro.
Fábio Santos: Bem.
Adilson: Implacável na marcação. Destaque.
Fábio Rochemback: Mais uma boa atuação.
Lúcio: O segundo melhor do time. Fundamental na armação.
Douglas: Muito marcado, quase não apareceu.
André Lima: É centroavante. Fez gol, missão cumprida.
Jonas: Errou 2 gols de forma bizonha. De pênalti, deixou a marca.
...
Diego Clementino (André Lima): Entrou muito cedo para fazer só um gol. Então, também sofreu um pênalti.
Gilson (Lúcio): Pouco tempo.
Ferdinando (Mário Fernandes): Boa atuação.
...
Renato: Segue a sequência de bons resultados. O time é campeão do segundo turno.
---
Juiz Nielson Nogueira Dias: Não apareceu no jogo, o que é bom para um árbitro.
_____

Veja os gols

27 de novembro de 2010

Eu vi! E vivi!

 Tributo aos heróis

Na bola e no susto do adversário

O dia 26 de novembro de 2005 amanheceu ensolarado em Floripa. Como todo dia de decisão, havia mais eletricidade no ar. Nada, no entanto, comparado com finais de Libertadores, mundiais, estas coisas todas que estamos para lá de acostumados. Junto com a maior excitação havia a certeza de que o Grêmio já tinha cumprido seu purgatório. Purgatório, aliás, que só os grandes clubes visitam, pois sabem que faz parte da vida e fica logo para trás. Clubes menores, viu-se, pagam suborno para não descer pois sabem que a volta para a elite seria muito improvável. Mas volto ao que interessa.

Foi um sábado que teve reunião na escola do filho, então com 11 anos. Após o meio-dia a gurizada ia jogar um torneio. Eu, dois outros pais e uma mãe, todos gremistas de verdade, iniciamos os preparativos para o jogo. Cerveja e conversa animada.

Não sabíamos, como ninguém no mundo sabia, que viveríamos a mais extraordinária história que o esporte coletivo mundial viveu e que jamais será repetida.

Jogo iniciado e torcíamos como se estivéssemos no estádio. Que gremistas, todos, sempre torcem assim. Até Inter cagão nós cantamos.

Teve aquele pênalti contra que deu na trave. Alguns gols perdidos e aquele time, até então medíocre, do Grêmio levando o jogo como um clube grande leva uma decisão. Um susto no adversário aqui. Uma catimba ali.

Foi ficando até fácil. A subida, que daquela forma rotineira, seria esquecida em um canto da memória, chegando rapidamente. Tão fácil que me permiti ir ao banheiro.

Foi quando ouvi os gritos de fúria. Voltando correndo vi o replay de um pênalti mais do que roubado.
Aí a história todo mundo lembra. Segundo a segundo. Expulsão a expulsão. Lance a lance. Quando Domingos tirou a bola da mão do juíz e foi o quarto expulso temi o pior. E o pior, para mim, não era ter quatro a menos. Era ter o quinto expulso e, por consequência, o fim do jogo.

Lembro como se fosse hoje. Olhei para os meus amigos, todos desolados, e falei. "O Galatto pega o pênalti. O problema é aguentar mais quinze minutos com quatro a menos." Eu tinha total convicção que ele pegaria. E a razão dizia que nenhum clube do mundo aguenta 15 minutos com quatro jogadores a menos. Nenhum clube do mundo? Nenhum clube do mundo! Que não se chame Grêmio Foot-ball Porto Alegrense. Mas quem disse que quando se fala em Grêmio deve-se usar a razão? Ainda festejávamos alucinadamente a defesa do pênalti quando a TV, parada numa falta em Anderson, mostrou o guri entrando área a dentro. E o gol. Gol? Nada.  

GGGGGGGGooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooolllllllllll!!!!!!

Foi o maior momento de delírio, de êxtase, de orgulho, de estar feliz por ter nascido e presenciado o maior feito do esporte mundial em todos os tempos.

Sabia que, se o jogo continuasse até hoje, o Náutico não empataria.

Mais tarde. Muitas cervejas depois. Fomos buscar os filhos no torneio. Na chegada pais que torcem para times mortais, como Corinthians, timinho, Fluminense, etc., já sabiam da história e olhavam com misto de inveja e despeito. Eu os perdôo. Nenhum deles. Nem os filhos. Muito menos os netos, bisnetos e tataranetos, nenhum jamais terá a ventura de viver este momento único de saber e sentir o que é ser Imortal. Tanto, que convidados para o churrasco da vitória, preferiram se recolher aos seus lares de mortais comuns.
A imortalidade é privilégio nosso. E deve ser relembrada e festejada todos os anos. Para todo o sempre.
_____

E tu? Onde estavas e o que sentiste neste dia glorioso?

26 de novembro de 2010

O dia no qual o blog trocou de nome



Hoje estamos de aniversário. Não aniversário civil, que o espaço nasceu no dia 14 de agosto de 2005.

Aqui, um parêntese: sim, fomos gestados e nascemos enquanto o time do coração sofria as agruras da disputa da Segunda Divisão. Alguém registrou à época ser um ato de loucura iniciar um blog tricolor em momento tão desfavorável. Afirmo em alto som: "Foi pura paixão!" O momento exigia que se fizesse tudo e qualquer coisa para abastecer de vida o coração que pulsava em compasso incerto no Largo dos Campeões. Não bastava o compromisso religioso de ofertar a voz em cada jogo. Um blog tinha a aparência de uma trincheira de resistência. Armados até os dedos, encaramos a batalha das letras.
_____

Para quem insistir ter se tratado de insensatez, concedo. Não sem replicar, porém, que paixão e loucura são sentimentos tão próximos, que talvez tenhamos sorvido uma dose de cada um deles, quando iniciamos. Mas, que fique claro: foi uma dose das grandes, porque, para nós, nada que tenha o Grêmio como motor pode ser pequeno.
_____

Então, no dia 14 de agosto de 2005, nascemos com o nome de batismo Blog do Grêmio. Esta a origem do endereço "blogremio", que carregamos. E assim andamos nossos primeiros passos. Foi uma época em que cada comentário de leitor era festejado como um gol.
_____

Então, em 26/11/2005, aconteceu o que todos sabem: esculpimos uma das maiores obras da história do futebol. Talvez mesmo a de maior dimensão de todas, o feito que o mundo conheceu como a Batalha dos Aflitos.

Naquele dia, há exatos 5 anos, ainda tocados pela inexplicável emoção da façanha, decidimos que o blog passaria a se chamar Imortal Tricolor.
_____

Hoje, na data deste "aniversário", enquanto vivemos a perspectiva de disputar mais uma Libertadores, uma realidade diametralmente oposta àquele vivida em nosso nascimento, agradecemos aos nossos leitores pelo privilégio das suas companhias na caminhada, compartilhamos a alegria de ser um dos blogs mais conhecidos do nosso Tricolor e podemos afirmar que ao menos uma coisa permaneceu intocada em toda essa história: a nossa paixão pelo Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense. Obrigado, queridos leitores.
_____

Para relembrar










25 de novembro de 2010

Um jogo amistoso?

O jogo Grêmio x Botafogo, que encerra a nossa participação no Brasileiro 2010, vem sendo projetado como um embate decisivo e que promete ser eletrizante. É possível que seja. Mas, o último jogo do ano no Olímpico pode, também, ser uma festa amistosa. Para isso, nada de sobrenatural precisa acontecer.

Vencendo o Guarani, vamos a 60 pontos. Se o Botafogo empatar com o Prudente (o que há de excepcional nisso, para quem perdeu para os reservas do grupo?), avança para 57. Com 13 vitórias, não mais poderá roubar nossa posição de 60 pontos e 16 vitórias. Já os petralhas enfrentam o Ceará, em Fortaleza. Em casa, o time cearense já derrotou São Paulo, Guarani, timinho, Santos, Grêmio, Avaí, Cruzeiro, Vitória e Fluminense. Jogando no Castelão, o Ceará só perdeu para o Vasco, na última rodada do primeiro turno. Então, uma derrota da brisa não será surpresa.
_____

Ocorrendo um empate dos petralhas, ficariamos três pontos à frente e empatados em vitórias (16 a 16). Vencendo o Botafogo, daria nós fácil: enquanto temos saldo de 19 gols positivos, a brisa carrega um déficit de 3 gols.
_____

Mas, para pensar nisso, precisamos vencer o Guarani. Este será um jogo fundamental.

Duas rapidinhas

Felipão, como bom Gremista fez o serviço ontem. Agora depende apenas de nós para garantir o G4 e a vaga na Libertadores. Não acredito que o Goiás consiga ganhar a Sulamiranda.
____

Diz que o clima anda quentíssimo lá no timinho do aterro. Aff...tato e Gigio Unhas de Cristal estão dispostos a tudo para garantir a boquinha. Notícias que vazam falam em arranhões e puxadas de cabelo de lado a lado.

23 de novembro de 2010

Balanço




O time começa por ele






Fim de um ano que poderia terminar glorioso. O Grêmio, afinal de contas, é o melhor time do Brasil. Aí a gente lembra do Silas e do Meira e fica muito contrariado. Fica sim. Se fica...
Temos que lembrar do André Krieger também. E a contrariedade aumenta. Aumenta sim. Se aumenta...
Mas fim de ano é tempo de balanço.
Olhando para a frente podemos dizer o seguinte:

Goleiros: Victor é só o melhor do Brasil. Talvez do mundo. Grohe sempre entra bem. Neste ítem estamos tranquilos.

Laterais: Gabriel é craque. Gilson é bela promessa. Lucio, embora tenha jogado na meia provou que está recuperado. Até Fabio Santos cresceu muito. Edilson machucou feio e fica fora um bom tempo. Precisa uma boa reposição na lateral direita. Talvez algum junior bom resolva.

Zagueiros: Ozéia deve sair. Vilson, Rafa Marques, Paulão, Neuton, Saimon e principalmente Mário Fernandes são zagueiros que dão confiança. Não penso que aí possamos ter problemas.

Meias: Adilson e Roca são soberanos mas falta um volantão quebrador de bola e de rótulas. Um Dinho, se querem que eu seja explícito. William Magrão é incógnita. Maylson e Fernando podem ser melhor aproveitados. Ferdinando para compor grupo está ok. Douglas, com Renato é o cara e Roberson tende a crescer. Souza, por mim, sairia. Falam maravilhas de Pessali. A se ver. Tem ainda o Mythiuê, que pintou como craque e a lesão mais o Silas cuidaram de torrar.

Ataque: Leandro e Borges são caros e se lesionam muito. Devem sair, apesar de Borges ter rendido muito enquanto  jogou. Jonas deve ser mantido de todo o jeito. Assim como André Lima, Viçosa e Clementino (para matar no fim) devem ser contratados. Dizem que Wesley será o novo Alcindo. Se for metade do Bugre está bom demais. E Bergson precisa jogar no time de cima o que dizem que joga no time de baixo.

Recheando este time com um ou dois grandes craques, e subindo mais alguns guris da casa, 2011 será o ano em que nada vai parar o Imortal.

22 de novembro de 2010

Mirando o G4

O G3 ficou fora da alça de mira. O Cruzeiro venceu. Pode ser alcançado em número de pontos (63 a 57), mas não no de vitórias (18 a 15). Agora, é vencer as duas partidas que faltam e esperar pela decisão da Sul-Americana.
_____

O Guarani vem desesperado. Com uma nesga de esperança, vai jogar a vida. Sabendo usar esse desespero, podemos chegar ao triunfo. Depois, é lotar o Olímpico contra o Botafogo e chulear a Sula.
_____

O Gaguinho disse que ouviu coisas. Então, fala Gaguinho!
É o seguinte: ouvi um co-comentário de um co-conhecido empresário. Ele disse que, dependendo do nosso resultado da próxima rodada, vai mandar desembarcar em Porto Alegre um co-conteiner de camisetas do Palmeiras. Segundo ele, é lu-lucro certo.
Obrigado, Gaguinho, pela sua participação.

21 de novembro de 2010

Quero meu dinheiro de volta

Durante a semana toda foi aquela laúza. Anunciaram à exaustão que chegaria um furacão a Porto Alegre. A piazada se ouriçou até com uma tia velha de Curitiba, que pelo que se ouve escreveu um monte de asneiras, com o intuito de ter o seu segundo dia anual de fama. Afinal, eles precisam aproveitar os jogos com o Imortal para entrar no maparitiba (mapa do mundo, em tupi guarani). No final, o que apareceu por aqui foi mesmo uma brisa fresca.

O Código de defesa do Consumidor é claro.
ART. 37 - É proibida toda publicidade enganosa ou abusiva.

§ 1º - É enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços.
A mídia mentiu quanto à qualidade anunciada do produto Clube Atlético Petralha. Precisa melhorar muito para chegar a ventania. Furacão? "Nem morta", diria a tia velha de Curitiba, se vivesse no mundo real.

Amanhã, vou ao Procon registrar queixa. Palavra que, por acaso, rima com tia gueixa.
_____

O jogo

seu Algoz já escreveu sobre o jogo, mas deixo um registro: após o segundo gol, feito através da cobrança do pênalti cometido sobre Edilson, o time recuou demais, sem necessidade. Isso teria colocado o resultado em risco, se do outro lado houvesse um time de mais qualidade. Por sorte, eram os petralhas e tudo acabou bem.
_____

Os lances do jogo


20 de novembro de 2010

Ante-penúltimo degrau

Já virou rotina. Depois da re-eleição de Fábio Koff no Clube dos 13 somos sistematicamente roubados. Lance duvidoso é sempre contra o Grêmio.
Não adianta fazer um futebol envolvente, amassar o adversário. De repente um pênalti a favor não é marcado e um contra é apitado com grande satisfação. Aliás, pênalti bôbo do Neuton que foi precedido de uma falta a favor do Grêmio, como sempre não marcada.
No segundo tempo a Geral enquadrou o rapaz. Não teve como não dar o pênalti indiscutível no Edilson. Aliás, só Batista e o outro babaca do PFC não viram o pênalti. Chega a ser constrangedor ver estes dois ordinários. Fariam parte da imprensa barata do Afff..tato?
_____

Como jogaram:

Vitor: Muito bem como sempre.
Edilson: Até não foi mal, mas para quem está acostumado com Gabriel ... No fim uma lesão que parece grave.
Paulão: Firme. É um fôfo o Paulão.
Neuton: Um golaço. Um pênalti desnecessário.
Fábio Santos: Regular. Fez belas combinações com Lucio.
Rochemback: É, indiscutivelmente, o líder do time.
Adilson: Muitos passes errados. Mas um gigante no desarme.
Douglas:Boa atuação. Não sentiu as críticas injustas do jogo da seleção. Um desarme espetacular que levantou a torcida.
Lúcio: Muito ágil. Errou dois gols.
Viçosa: Bem. Deve ser contratado porque promete.
André Lima: Esforçado. É centro-avante. Incomoda.
.....

Clementino (Viçosa): Não apareceu. E de repente, apareceu.
Ferdinando (Edilson): Sempre útil em qualquer posição.

Renato: Eu teria preferido o Roberson no lugar do Jonas. Mas Renato tem crédito.

Espindola: Mais um que veio para aprontar. Pênalti em Fabio Santos não marcado. Cartão amarelo só para os petralhas que ainda não tinham. Deve ter um caso tórrido com o Guerron. Deixou o elemento bater a vontade.
_____

Que amanhã o Botafogo faça seu dever. Menos de 4 não é aceitável.